The Half of It

Hey ^^

Na minha não animação para nada, acabei entregue ao Netflix e videos aleatórios no youtube. Como não dá pra sair comentando todas as coisas que vejo no yt (ou melhor, até dá.. mas me falta paciência hahaha) vamos nos ater ao que ainda consigo vir comentar, né?! hahaha
Na minha “maratona netflix”, um dos filmes que tava na minha lista e eu ainda não tinha visto era esse, segundo as propagandas do mesmo (porque não achei de fato essa informação), ele é uma adaptação de um livro, no qual estou muito interessada em ler… Favor, se alguém conhecer me manda onde encontrar!!! (pode ser em inglês mesmo).
Achei a história bem levinha e claro que fui conferir o filme, né?!

Partiu?!

Ellie Chu é uma garota solitária e muito inteligente que apesar de sua capacidade de poder sair da cidade para estudar em uma universidade melhor (através de alguma bolsa, ou sei lá como funciona o sistema educacional norte-americano) decide ficar em sua cidade por conta do pai. Ela trabalha na antiga função do pai na linha de trem e para ganhar aquela graninha extra, vende trabalhos para os alunos preguiçosos do colégio.

Paul Musky é um atleta um pouco lerdo nos treinos (inicialmente hahaha) e trabalha no restaurante da família, além de ser muito bom em cozinhar, não que tenha mostrado essas suas habilidades para alguém. Paul e Ellie estudam juntos e mesmo ele trabalhando perto, na cabeça da garota não tem porque eles serem amigos.

Eis que um belo dia…

Paul faz um pedido inusitado para Ellie, ou melhor, uma proposta com benefícios financeiros: escrever uma carta de amor. Escrever trabalhos é uma coisa, cartas de amor é outra. Inicialmente, a garota diz não. Mas precisando do dinheiro, ela acaba aceitando, o problema é que ela não faz a mínima ideia de como escrever uma carta assim.

E quem é a futura dona dessa carta? Aster Flores.
A filha do reverendo, extremamente habilidosa em cantar e considerada a garota certinha. Ela é bem inteligente, gosta de ler e arte. Porém, namora o típico atleta imbecil rico da cidade, Trig Carson. Eles são aquele casal que todo mundo simplesmente assume que vão casar e são “perfeitos juntos”. Por que ela ainda tá com o idiota? Não faço ideia. Ou melhor, faço. (Assistam o filme! hahaha)

Na primeira tentativa de carta, Aster descobre o que Ellie fez e por mais que parecesse tudo perdido, eis que a conversa rende. Tornando-se praticamente um desafio para Ellie testar a inteligência e a própria Aster. Enquanto isso, a jovem chinesa e o aspirante a cozinheiro passam a conviver mais em prol de escrever as cartas, aos poucos isso vai se transformando em uma bela amizade. Sendo até incluído o pai de Ellie com direito as salsichas diferentes de Paul.
Carta vai e carta vem… Encontros e mensagens… “Ellie” e Aster… E o que era pra ser apenas uma ajuda remunerada, acaba virando algo mais.

Genteeee… Sinceramente não esperava gostar tanto desse filme do jeito que eu gostei.
A história é tão boazinha de acompanhar, gostei dos personagens também, claramente alguns tinha aqueles caricatos bem específicos e típicos de filmes/livros do gênero, mas creio que foi proposital mesmo. Apesar de não conhecer a maioria dos atores e não ter lido o livro, fiquei com a impressão que eles se encaixaram perfeitamente no babado.
Outra coisa que curti foi a fotografia do filme, às vezes, eu reparo nisso, raramente comento.. Não sou entendida. Só sei que achei que a atmosfera combinou.

Destaques aleatórios sobre coisas aleatórias no filme:
ignore se não quiser spoilers

  • Não que eu ache que sempre precise de um motivo há mais que “eu gosto e pronto”, mas senti que o filme foi um descobrimento nesse sentido tanto para Ellie quanto para o Paul. Gostei disso!
  • Me incomodei um pouco com o pai da Ellie. Inicialmente eu achei que ele realmente tinha algum tipo de problema que o impedia de trabalhar, daí a filha substitui-lo. Não esperava aquela “inércia prolongada”.
  • Gostei da Aster entender as referências da Ellie (todas elas) nas cartas que elas trocavam.
  • Nada como correr atrás de uma bicicleta todos os dias para te ajudar nas corridas dos treinos (crises de riso com o comentário do treinador, juro!)
  • A amizade do Paul e da Ellie… Simplesmente. Amei tanto!
  • Me incomodei um pouco com a falta de atitude da Aster em determinados momentos. Tipo, ela não querer alguma coisa ou não concordar com algo, mas não se mover contra. Meio como se já tivesse acostumada aquilo e não ter coragem de se posicionar contra. (entendo o ponto, mas mesmo assim..)
  • A amizade que surge entre a Ellie e a Aster.. gostei do desenvolvimento através das cartas, seguindo para as mensagens.
  • Só filme mesmo para a pessoa não se tocar que eram duas pessoas diferentes.. sério mesmo! (esse mês mesmo eu fui clonada, e bastou uma mensagem para meus amigos saberem que não era eu. Não foi uma mensagem longa, foi apenas um cumprimento.. e geral já tinha certeza que não era eu. tudo bem que eles não eram amigos, mas pelo amor, né?! dá pra se tocar pelos assuntos e maneira de falar)
  • Nos aleatórios do aleatório.. A cena do lago (acho que era um lago) com a Ellie e a Aster. (que acho que é a capa do livro, das vezes que tentei achar sobre isso, sempre aparecia essa imagem).
  • Aquela cena do final, o Paul fazendo referencia aos filmes clichês de romance que a Ellie reclamou tanto… OMG! Amei demais! (Sim, estou ciente que eles não são o casal.. mas dá licença que shippei os três e é isso! hahahaI)

Se vocês ainda não entenderam, repito de novo: ASSISTAM ESSE FILME!! ^^

E essa foi a recomendação de hoje!

Bye bye ^^

2 comentários sobre “The Half of It

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s