Equinox (2020)

Bonan Tagon!

Mudando a programação dessa sexta para comentar sobre essa série dinamarquesa que vi no netflix esse mês. Me interessei pelo trailer, pois a sinopse do netflix não é lá muito atrativa.
Além de uma fotografia impecável, tem seu teor de suspense e mistério, além de envolver a mitologia da região na história, o que confesso, foi uma coisa que inicialmente me deixou confusa, já que não a conheço.

País: Dinamarca
Baseado em: um podcast chamado “Equinox 1985”
Temporada .:. Nº eps:
S01 .:. 6
Gênero:
drama | mistério | suspense
Elenco: Danica Curcic | Viola Martinsen (Astrid); Karoline Hamm (Ida); August Carter (Jakob); Ask Truelsen | Joen Højerslev (Falke); Fanny Bornedal (Amelia); Alexandre Willaume (Henrik); Hanne Hedelund (Lene);

A história da série se passa em duas linhas do tempo: em 1985, quando a irmã mais velha de Astrid, Ida e seus colegas de escola sumiram no dia da formatura, sobrevivendo apenas 3 dos melhores amigos da jovem. E 2020, quando Astrid, agora mulher, radialista e mãe, decide voltar a sua cidade natal e desvendar os mistérios por trás do sumiço dos formandos. Tudo porque, durante um de seus programas, ela recebe a ligação de um dos amigos de sua desaparecida irmã, e relembra dos anos que passou tendo “sonhos” sobre o paradeiro da mesma. “Sonhos” estes visto por seu pai como uma maneira dela de processar a realidade.

Em 1985, Ida, Jakob, Falke e Amelia se envolveram em uma confusão envolvendo um livro misterioso, Jakob obcecado no livro, os faz “jogar com o destino” e acabam encontrando um “culto” que procura a deusa Osara. A partir desse evento, Ida muda de personalidade e se afasta dos amigos e do ex-namorado (Jakob), logo em seguida, ocorre o incidente onde 21 estudantes desaparecem com exceção de Jakob, Falke e Amelia. O motorista que conduzia o veículo entra em coma, e nenhum dos três encontrados é capaz de dizer o que ocorreu com o resto dos estudantes.

Astrid tem uns nove anos quando sua irmã, Ida, tornou-se formanda. Ambas sempre foram muito próximas, e é devido aos detalhes que a garotinha prestou atenção mesmo sem entender na época, que ajuda a desvendar o mistério anos mais tarde. Desde o momento que Ida desaparece, Astrid passa a ter sonhos com uma floresta coberta de névoa vermelha, ela sabe que sua irmã está em algum lugar ali, porém, é incapaz de encontrá-la, já que toda vez se espanta com uma criatura que também está no local. A garotinha acaba sendo internada em um centro psiquiátrico, mas após receber alta e graças as loucuras de sua mãe, ela acaba indo morar com o pai.

Muitos anos depois, em um dos seus programas de rádio ao vivo, Astrid, recebe uma ligação misteriosa do ex-namorado de sua irmã, um dos “encontrados”. E decide fazer uma “reportagem” sobre o caso, retornando a sua cidade natal afim de desvendar o que ocorreu no passado. Inicialmente as pistas não a levam a lugar nenhum, mas é nos sonhos – ou pesadelos – que algumas dicas começam a direcioná-la para o caminho certo. Astrid descobre sobre o livro, assim como Jakob se matou, enquanto os outros dois melhores amigos de sua irmã sumiram.

Aos poucos, o que parecia apenas um caso misterioso de desaparecimento começa a ganhar um aspecto mais sobrenatural e mitológico, quando Astrid segue a pista que tudo está conectado ao misterioso livro e que sua mãe – mesmo meio louca – sabe mais sobre o que ocorreu no passado do que ela diz.
Astrid tem certeza que em algum lugar sua irmã está viva, e cabe a ela, desvendar esses mistérios que podem ou não levá-la para o mesmo destino.

No Geral:

  • A abertura da série é um tanto louca e um pouco psicodélica, então, quase me pareceu sem sentido… Até começar a ver os episódios e começar a conectar os fatos;
  • Vi alguns comentários ruins sobre a série, mas no meu ponto de vista quem comentou algo assim foi quem não entendeu a trama;
  • O desenvolvimento psicológico de Astrid, de criança para a vida adulta, foi um dos aspectos que mais me chamou atenção. Mesmo com todos dizendo que tudo não passava de uma “fantasia” da cabeça da menina, ela sabia que não era, e seguiu bem o papel de deixar que os outros acreditassem no que quisessem, ao mesmo tempo, que nunca esqueceu ou desistiu de tentar entender o mistério;
  • Gostava do casal Ida e Jakob até ele ser um sacana com ela… Afinal, foi ele quem convenceu o povo a seguir o tal livro… Foi ele quem “meteu” todo mundo naquilo, e na primeira oportunidade, ele literalmente larga a coitada aos “lobos”.
  • Não duvido que a Ida tivesse meio drogada no babado todo, mas ainda assim… Ela chegou a dizer que era pra eles irem embora, o Jakob insistiu que continuassem… Quando ele não gostou do “resultado”, se afastou dela. ¬¬
  • E nem comento sobre os “amigos” que fizeram o mesmo…
  • Tive ódio da mãe das meninas que pressionava a pequena Astrid, capaz de deixá-la completamente louca. Dá pra entender porque ela acabou “sozinha” na casa, enquanto o marido e a menina saíram de lá.
  • Também não podemos tirar a parcela de culpa dela da história, afinal, Lena (a mãe das garotas), fez promessas em sigilo, o que custou caro para muita gente.
  • Sei que muita gente esperou que o suspense ou o mistério se desenvolvesse mais de uma forma menos “mitológica” ou “sobrenatural”, mas gostei de como as coisas se desenrolaram. Temos poucas séries que nos trazem mais “mitologias” de outros lugares.
  • No geral: muita gente vai detestar, muita gente vai gostar, e muita gente não vai entender o final (tenho certeza! hahaha ) Sempre gostei de séries diferentes e gostei dessa! Digam o que querem sobre ela, mas a achei interessante.

Gis la revido!

Um comentário sobre “Equinox (2020)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s