Cry Wolf – Patricia Briggs

Lembram que comentei na postagem de “Moon Called” que havia duas séries que pertenciam ao mesmo universo?! Pronto, “Cry Wolf” seria o primeiro volume dessa outra série “Alpha & Omega”, mas como estou seguindo a ordem cronológica (segundo o Goodreads, pelo menos), esse aqui vira o volume 2 da série “Mercy Thompson World”.

Esqueça um pouco da Mercy, do Adam (lobisomem alpha e vizinho da Mercy) e do Samuel (alpha dominante e ex-namorado da Mercy). Com a mega confusão (e conspiração) que eles descobriram no livro anterior, o Marrock (líder de todos os lobos e pai do Samuel), Sr. Cornick, enviou seu outro filho, Charles, para resolver o problema. E neste livro aqui, sabemos o que aconteceu quando ele foi enviado à Chicago e as consequências disso.

Anna nunca soube que lobisomens existiam até a noite que ela sofreu um violento ataque… e acabou se transformando em um. Após três anos no fundo do poço da alcatéia, ela aprendeu a manter sua cabeça baixa e nunca, nunca confiar nos machos dominante. Então, Charles Cornick, o executor – e filho – do líder dos lobos da América, entrou em sua vida.

Charles insiste que não só Anna é sua companheira (alma gêmea), como ela também uma espécie rara e valiosa, uma loba Omega. E é a força interior de Anna e sua presença calmante que vai se provar inestimável à medida que ela e Charles vão em busca de um lobisomem selvagem – uma criatura presa em magia tão escura que poderia ameaçar todo o bando.

Anna é uma jovem loba que sofre de diversos traumas por ter sofrido nas mãos do antigo alfa de sua alcateia e de seus fies seguidores. Ela passou muito tempo sendo torturada nas mãos deles, literalmente jogada aos “leões” e sem sequer ter a quem pedir ajuda. Então, as loucuras do líder de Chicago chamam a atenção do Marrock, e ele envia seu executor para lidar com o problema. Seu filho, o executor, fez o trabalho dele: matou o antigo alpha. Salvou Anna e então, algo estranho (e completamente fora de ordem) aconteceu: seus lobos resolveram se unir. E estava decidido, que eles seriam companheiros um do outro. E ai de quem ousasse machucá-la de novo.

A questão é que normalmente não é assim que acontece, não são os “lobos” que decidem primeiro sobre essa junção. Mas os “lobos” deles não estavam nenhum pouco preocupados se a parte racional achava que aquilo era estranho ou não. Tudo é diferente para Charles e Anna, e com as coisas acontecendo rápido demais, acabam assustando a já temerosa garota.
E por ele ser um macho dominante, a jovem ainda não desistiu de seu pensamento sobre eles não serem de confiança, mesmo que este ainda não tenha feito nada além de ajuda-la.

Com Charles ferido na confusão que causou a morte do alpha de sua alcatéia, Anna é deixada aos cuidados de – seu futuro sogro – Bran. Agora ela não irá precisar viver sob o constante medo e ameaças de outros lobos, certo? Ela tem Charles ao seu lado, e todos os outros o temem… Inclusive ela. Mesmo tendo essa inexplicável conexão e sentir-se completamente segura ao seu lado, os anos de abuso e traumas, não a deixam se permitir ficar totalmente em paz – ainda – ao lado dele.

Com um lobisomem selvagem causando confusão aos humanos, Bran (vulgo o Marrock, líder dos lobos) decide enviar seu filho para investigar a situação. E junto com ele irá Anna que possui habilidade de acalmar os lobos ao seu redor por ser uma Ômega, e assim, talvez ela pudesse ajudar antes que a situação ficasse mais preocupante.
Na caça de um culpado, eles conhecem o adorável Walter, um também novo lobo, que não faz ideia do que está acontecendo, mas que decide ajuda-los nessa empreitada.

Eles precisam trabalhar juntos para deter o lobo que está matando qualquer coisa que se move, antes que cause mais problemas ao bando. E no caminho, talvez, eles possam aprender a lidar também com seus problemas particulares.

💬 Ponto 1: Se eu tinha me encantado pelo Adam no primeiro livro, é porque o Charles não tinha aparecido ainda. Gente, eu gostei tanto desse personagem… 😍
Ele é um lobo que por ser o executor do pai, é temido por todo mundo, e acabou meio solitário. Ele “nasceu” lobisomem, não foi transformado como os outros, e por isso, tem certa força e poderes místicos ao redor dele. (adorei a maneira como a autora construiu o personagem).
💬 Ponto 2: a personagem da Anna também é maravilhosa. Ela é cheia de traumas (com toda a razão para tê-los), e apesar de inicialmente ela se deixar dominar pelo medo, ela aprende a não deixar que eles a controlem. Ela é dura na queda e se permite ver que existem “lobos” e Lobos… E Charles é alguém em quem pode confiar sim!
💬 Ponto 3: os lobinhos secundários, mas de suma importância: Bran (o sogro); Walter (o amigo inusitado); Asil (vulgo, o Moor). Tantos personagens bons com histórias fascinantes.
💬 Ponto 4: a maneira como – apesar do inicio rápido – a relação do Charles e da Anna evoluiu… E quanto podemos esperar positivamente para mais coisas durante os próximos livros. Já quero uma amizade entre a Anna e a Mercy.

Tecnicamente eu só li até esse livro, mas não abandonei a série.. Só não terminei o próximo ainda. Assim que terminar, trago para vocês!
Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s