Good Omens

Eu sempre gostei muito de livros de sobrenatural, fantasia, terror.. quando era criança, e desde então, continuo gostando.. E um dos autores que fazia parte da minha lista de “obrigatórios para se ter na estante” era o Neil Gaiman. Sempre gostei e provavelmente sempre vou gostar. Esse ano, a “Amazon Prime” lançou a mini-série e eu terminei de ver a temporada essa semana.

Título Original: Good Omens
Temporadas: S01
Nº de Eps: 6 .:. 60 min.
Ano: 2019
País: UK
Adaptado de:Good Omens” by Neil Gaiman
Gênero: livro – fantasia – sobrenatural
Stars: David Tennant, Michael Sheen, Sam Taylor Buck
Rating: 🖤🖤🖤🖤

Um demônio e um anjo que “moram” na Terra que se conhecem a milhares de anos (não decorei, mas basicamente desde “Adão & Eva”) decidem se unir para evitar o Apocalipse, coisa que nenhum dos lados (Céu e Inferno) parece disposto a querere fazer, pelo contrário, ambos estão bem anciosos pela batalha.

Para evitar tal evento, eles tem que encontrar o Anticristo que foi “trocado”, devido a uma confusão alheia a vontade deste anjo e deste demônio, no hospital em que supostamente nasceu há onze anos atrás. Ou seja, o destino do mundo está nas mãos de uma criança de onze anos de idade e nos dois “supostos” rivais.

Parece até uma piada ruim que alguém pode contar em um bar de bêbados, mas não… É a pura realidade no universo dessa história, e eles estão correndo contra o tempo para evitar um desastre, ou melhor, a guerra e a destruição da humanidade.

Tudo começou lá no Jardim do Éden, quando Aziraphale deveria ter feito seu trabalho de vigiar a árvore do fruto proibido, e no entanto Crowley cumpriu seu trabalho de tentar Eva a “comer o fruto proibido”. O casal foi expulso como bem sabemos, mas Aziraphale com pena dos perigos que eles poderiam enfrentar, os deu sua espada flamejante.

Alguns milhares de anos depois, Crowley é encarrregado de entregar o anticristo em um hospital pertencente a uma “seita” de freiras, afim de trocarem o beber de um diplomata pelo “bebê demôníaco”, dando assim, o primeiro passo para o “Fim do Mundo”. Por conhecidência, dois casais acabam indo parar no hospital na especifica noite: o casal diplomata e um casal do suburbio da Inglaterra. E adivinha onde o “bebê destinado” vai parar?!

Onze anos depois, dar-se inicio a corrida para evitar (ou fazer acontecer – depende de qual lado você esteja) o “Fim do Mundo”.

Do lado “vamos evitar a guerra”: o anjo, Aziraphale que ama sua livraria e não quer destruir a humanidade; o demônio Crowley (eu fã de Supernatural pulei de alegria só por existir um personagem aqui com esse nome… ele é meu xodozinho lá na outra série… 😍) que ama seu carro.
Além de uma “bruxa” ou ocultista (ela se nomea assim), o futuro namorado dela caçador de bruxas, um “Sargento” Caçador de Bruxas e sua amante medium. (eles entram para o “time” depois)

Do lado “queremos que o Fim do Mundo aconteça”: todos os outros anjos, ou seja, o Céu; e todos os outros demônios, o Inferno. Além dos 4 Cavaleiros do Apocalipse: Guerra, Fome, Poluição (que seria a Peste) e Morte que estão se reunindo para a “corrida final”.

E no meio desse barraco todo, temos: Adam, o Anticristo; Cão, o cão infernal (o dono dele não é lá muito original com nomes…); Brian, Pepper e esqueci o nome do outro 😅 (Resumindo: 4 crianças e 1 Cão Infernal.)
Inicialmente, Adam não tem noção de quem ou o quê ele é… Mas a partir do momento que ele percebe o que pode fazer, cabe a ele, escolher o destino de tudo e todos….

A primeira temporada tiveram só seis episódios, mas já foi anunciado que terá uma segunda (e espero que tenha mesmo!). Sinceramente, mal senti notar o tempo passando enquanto assistia. Apesar de ter uns momentos mais introdutórios e outros narrados por alguém, não torna monotono ou chato, pelo contrário, achei uma mistura de poético e cativante.

Como eu disse, a série é baseada no livro do Neil Gaiman que sim, já li, mas… há muito, muito, muito, muitooo tempo… E por isso não lembro de absolutamente nada dele. Ou seja, não esperem comparações 😅

Apesar de toda a parte sobrenatural de “anjos” e “demônios”, pra mim a série foi um brinde à amizade e as escolhas que podemos fazer por nós mesmos (e pelos outros). Basicamente aquele conceito de que o que escolhemos fazer ou quem escolhemos ser, pode sim ter um peso grande, e acarretar consequências – negativas ou positivas – para você e os que estão ao seu redor.

A amizade entre o Crowley e o Aziraphale é sem dúvida um dos pontos fortes da série, até porque, mesmo que um deles não veja como “amizade” inicialmente, é exatamente isso que é. E em diversos momentos percebemos que mesmo eles estando tecnicamente em lados opostos, eles dão valor a relação existente entre eles… Eles tentam se ajudar.

Então, sim, gostei da série. Sim, recomendo para todo mundo.. E sim, vou sofrer até chegar a segunda temporada!


🔲 Fica a dica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s